meandros

domingo, julho 30, 2006

charge estatisticamente significante


A um nível de significância de 0,05.

quinta-feira, julho 27, 2006

centenário

Domingo, dia 30, serão 100 anos de nascimento do gaúcho Mário Quintana que escrevia como ele só.



A verdadeira arte de viajar
A gente sempre deve sair à rua como quem foge de casa, Como se estivessem abertos diante de nós todos os caminhos do mundo.

Não importa que os compromissos, as obrigações, estejam ali... Chegamos de muito longe, de alma aberta e o coração cantando!


Mário Quintana

quarta-feira, julho 26, 2006

poder mutante

Clique na imagem abaixo para visualizar melhor.


Este é um blog de ficção e fantasia.
Toda e qualquer semelhança com a realidade é mera coincidência.

Será?

terça-feira, julho 25, 2006

a incrível máquina

Você lembra da abertura do programa infantil "Rá-tim-bum"?

Você lembra daquele joguinho antigo para PC, "The Incredible Machine"?

Poizé, taí uma coisa que eu quero fazer quando me aposentar. Construir jogos e brinquedos de madeira. Tenho certeza que um dos meus maiores sucessos será um brinquedo neste estilo, conforme fizeram esses geniais japoneses do vídeo abaixo.




segunda-feira, julho 24, 2006

powered by google earth



Dedico esta imagem para Nóia.


domingo, julho 23, 2006

meandros returns


Meandros do rio Iapó.

No Canyon do Guartelá.

E água está acabando...


domingo, julho 16, 2006

vida



Parodiando o Catatau, a vista do Pico Paraná pelo Caratuva. Afinal,

Viver é perigoso

Guimarães Rosa

E fazendo uma referência ao Solda.

quinta-feira, julho 13, 2006

sangue dói? doe sangue


Pois nunca se sabe.

Um acidente, uma doença, uma cirurgia. Isso pode acontecer a qualquer um. A qualquer hora.

E aqui vale a velha empatia. E se fosse comigo? E se fosse com os meus?

Não guarde seu sangue apenas para você, seus parentes e amigos. Pode ser pouco demais quando for realmente necessário.


quarta-feira, julho 12, 2006

meandros


Meandros do rio Paraguai.

"Ó chalana sem querer... tu aumentas minha dor..."

psicodália

Disse o Cazuza que seus heróis morreram de overdose. Bom, um dos meus também. Só que demorou um pouco mais.


Morreu Syd Barret, um dos fundadores no Pink Floyd. Na verdade ele morreu de diabetes, aos 60. Mas não estava vivo faz tempo. Suas viagens de LSD o transformaram em um doente mental gordo e careca que vivia com a mãe em uma reclusa fazenda no interior da Inglaterra.

Ele participou intensamente do início na banda e marcou o psicodelismo para sempre. Depois foi afastado porque só tocava um acorde durante os shows.

Mas os acordes que conseguiu fazer anteriormente ressoaram por quase 20 anos e marcaram minha adolescência.

É... os heróis também entram em decadência.

terça-feira, julho 11, 2006

humor engraçado?

O mais famoso concurso para chagistas e similares é o Salão de Humor de Piracicaba. Os vencedores da 14ª edição da versão universitária podem ser conferidos aqui.

O curioso dessa história é que boa parte dos trabalhos deste salão de humor nem é engraçada. Ah, mas não deixam de ser ótimos desenhos.

Como esta tira aqui, do Rodrigro Giraldi:



segunda-feira, julho 10, 2006

são josé do patriocínio

Esta Copa do Mundo foi esteticamente impecável. Mas faltou espetáculo nas quatro linhas. Não poderia ser diferente, dados tantos patrocinadores oficiais.

Aliás, parece que a Microsoft passou a bola para a Adobe numa das publicidades mais freqüentes.


Não entendeu o trocadilho visual? Disfarçando, clique aqui.


domingo, julho 09, 2006

a favor da manipulação

Começou!

O quê? O
15º Festival Internacional de Bonecos.

Enquanto você não vai assistir a algumas das provavelmente muito boas peças divirta-se com o boneco humano deste site.



sábado, julho 08, 2006

alta fidelidade II

Um livro deve transformar seu leitor. Deve mudá-lo. Se isto não acontecer após a última página (ou antes dela), se o leitor não sair diferente de quando começou a primeira página, algo deu errado.

Nestes casos, três conclusões são possíveis:
  1. Não se trata de um bom livro,
  2. Não se trata de um bom leitor ou
  3. Está na hora de esquecer a lista dos mais vendidos da Veja.

Segue abaixo os cinco livros que mais me transformaram a seu tempo. E suas respectivas conclusões, a seu tempo.






quinta-feira, julho 06, 2006

o futebol é uma caixinha de pandora

Trecho da HQ de Maringoni presente no excelente álbum "Dez na Área, um na banheira e ninguém no gol"


Neste clima de fim de baile, aproveito para realizar uma reflexão sobre o mais brasileiros dos esportes bretões. Quero advertir que este texto está carregado de altas doses de subjetividade em relação ao tema em questão (e qual texto é que não está?). Sempre fui o último a ser escolhido para o time. Adorava quando ia jogar bola em um lugar diferente e era o segundo ou terceiro a ser escolhido pela piazada:

- Pega aquele grandão ali. Tem cara de que é bom de bola...

Claro que logo se arrependiam amargamente da decisão. E lá ficava eu, na zaga, lugar de quem se esconde durante o jogo e que, se não ajuda, ao menos não estorva muito.


Já fui mais antipático com o futebol, mas aos pouco tenho me aproximado mais. Principalmente como espectador. Morando ao lado do estádio do meu time, comecei a acompanhar os resultados dos jogos, assistir pela televisão, ouvir o jogo no rádio e até mesmo acompanhá-lo ao vivo de dentro do estádio! Nada mal para quem só via a Copa do Mundo.


Assim, agora como um legítimo torcedor, me sinto habilitado a declarar para que serve o futebol.


O futebol serve para:

  • Vender cerveja.
Futebol, mulher e cerveja são a trindade da masculidade. Pergunto apenas o que uma mulher vai querer com um bêbado na frente da televisão. Bom, gosto é gosto.


  • Confraternizar com os amigos
Futebol aos domingos não serve para manter a saúde. Ao contrário, a chance de sair com um joelho arrebentado ou uma distenção é bem maior do que as calorias perdidas. Futebol aos domingos serve apenas para a sociabilização. E para tomar uma cerveja.


  • Lavagem de dinheiro.
Alguém ainda duvida?


  • Interesses políticos
Quer seja para eleger um novo vereador, reeleger o Eurico Miranda ou para manter uma ditadura, o futebol tem muita contribuição nisto. Vide o tópico acima.


  • Para criar uma grande satisfação no torcedor
Nada melhor do que uma jogada de contra-ataque com dribles em vários zagueiros, um chute preciso e uma bola entrando. É praticamente um orgasmo! Bola entrando, orgasmo... por que será? Declarem os psicanalistas de plantão.


  • Pela necessidade humana da crença
"Eu já sabia!" Sabia nada... Assim parece adivinhação. Mas não é. Algum paranormal/vidente/charlatão previu que o Brasil seria eliminado nas quartas de final? Não, futebol não é adivinhação, é crença. Você sabe que seu time o melhor, mesmo que as evidências apontem para o contrário. Ou seja, você crê. Futebol tem algo de religioso. Mudam os jogadores, mudam os dirigentes, mudam os regulamentos, muda a sua mulher, muda a sua religião. Mas o seu time do coração não muda.


  • Para que os jogadores ganhem bem
Alguém tem que ganhar bem neste país pelo esforço próprio. Mas, peraí. Nesse país? Jogadores são mercenários, lutam por quem oferecer mais. E geralmente oferece-se mais lá fora. Esforço próprio? Um pouco, o restante é só habilidade. Estudar é mais difícil e, mesmo que afirmem o contrário e meninos sonhem o contrário, geralmente tem mais futuro quem estuda mais que a média do que quem joga bola mais que a média.


  • Para ter assunto
Isto é infalível. Quem acompanha futebol sempre tem o que conversar com outros homens. Sejam eles de qualquer posição social, escolaridade, idade ou estado civil.


  • Para dar emprego aos jornalistas esportivos
Impressionante o que se discute futebol. Como se fosse uma coisa séria. Futebol não é coisa séria, é descontração. Alguns comentaristas tem uma postura tão sisuda e se fazem de tão entendidos e importantes que chega a dar raiva. Ainda bem que não são todos. Mas que bom seria se outros assuntos com um pouquinho mais de relevância fossem quase tão discutidos como o futebol.


  • Para tirar sarro da torcida adversária
Quer saber? Esqueça tudo o que comentei até agora. Futebol serve mesmo é para tirar sarro de quem perdeu. Ficar a semana toda enchendo o sapato do seu colega de trabalho porque o time dele foi desclassificado ou porque o seu ganhou com uma vantagem de mais de 2 gols. Comemorar a saída da Argentina da Copa. Isso sim é futebol! Taí o segredo do sucesso de alguns programas esportivos e de Los 3 inimigos, que sacaram bem isso.


Bom, no fim das contas parece que até gosto de futebol.

quarta-feira, julho 05, 2006

e um gosto de erva mate


Um desenho pelo simples prazer de desenhar.

terça-feira, julho 04, 2006

meandros

segunda-feira, julho 03, 2006

quadrado mágico


Charge do Quinho com o Quico. Ou vice-versa.

alta fidelidade

Baseado em critérios altamente subjetivos, apresento a minha lista dos cinco melhores programas de rádio no dial curitibano. Claro que ótimos programas ficaram de fora, os curitibanos não podem reclamar da qualidade das suas emissoras. Temos ótimas opções, entre elas a Lumen FM. Mas os que seguem são os que eu mais ouço. Ou ouço mais atentamente.

Clique na figura abaixo e escute bem!


Para ouvir rádio online:
Tudo Rádio
Radios

Para baixar programas:
Radiocaos
José Wille
Maria Rafart



domingo, julho 02, 2006

aquário

Por ocasião de um ano de casamento, uma poesia das antigas.




o aquário é um mar pequeno
amar pequeno eu não quero
me afoga a água doce


Leandro Kruszielski

sábado, julho 01, 2006

poesia da boa

um bom poema
leva anos

cinco jogando bola,
mais cinco estudando sânscrito,

seis carregando pedra,
nove namorando a vizinha,

sete levando porrada,
quatro andando sozinho,

três mudando de cidade,
dez trocando de assunto,

uma eternidade, eu e você,
caminhando junto

Paulo Leminski

oleandros


Belíssimos exemplares de Nerium Oleander.