meandros

quarta-feira, agosto 02, 2006

anelar ou anular?

Embora até não pareça, estamos em época de campanha eleitoral.

A impressão é que ela só começa a existir quando aparece na televisão (como quase tudo em nossa sociedade ocidental). Há ainda o agravante de que as ruas não estão repletas de cartazes e números de canditados conforme já havíamos nos habituado em eleições anteriores (aliás, de quem é o projeto de lei que proibiu os cartazes? Esse merecia ser eleito novamente).

Mas enquanto não aparece entre a novela e o jornal a tela azul com as letras garrafais T - S - E, o famoso "tsé" que faz as locadoras trabalharem como nunca, pipoca na internet em e-mail, pps e comunidades no orkut uma estranha campanha.

Vote nulo
. É o que pregam estas mensagens pretensamente anarquistas, cujos autores não levam em conta que a Colônia Cecília, mesmo com todos o seu charme anárquico, não deu lá muito certo.

Além de ser tipicamente um descontentamento com a situação política, o voto nulo é apontado por esta campanha como uma interessante solução para esta situação visto que conseguiria eliminar de uma só vez todos os canditados presentes nesta eleição.

Vejamos, entretanto, o que diz o Código Eleitoral. No art. 224, consta:

Se a nulidade atingir a mais da metade dos votos do País nas eleições presidenciais, do Estado nas eleições federais e estaduais, ou do Município nas eleições municipais, julgar-se-ão prejudicadas as demais votações, e o Tribunal marcará dia para nova eleição dentro do prazo de 20 a 40 dias.

Correto. Serão marcadas novas eleições. Porém o texto não fala nada sobre novos candidatos. Não há nada previsto na legislação q
uanto ao fato do candidato que deu causa à nulidade da eleição poder se candidatar novamente. Cabe ao Tribunal Superior Eleitoral (o tsé) decidir.

Ou seja, provavelmente as eleições acontecerão novamente com os mesmo candidatos. E daí? E daí nada. Continua a mesma coisa, só que mais caro para todos.

Mas nem isto é verdade. O artigo está fora de contexto e uma eleição não é anulada de nenhuma forma pelos votos. A verdade sobre o voto nulo, explicada em detalhes, pode ser conferida neste artigo aqui.

Tirando esse verniz anarquista, o voto nulo tem cara muito mais é de alienação. Sem comprometimento. Sem necessidade de acompanhar o candidato que mereceu seu voto. Sem esforço. Sem vergonha.

Melhor que não dar voto a quem não merece é procurar quem merece. Sem a procura, como saber que um bom político não existe?

Enquanto não aparece aquela gincanização na televisão, sugiro começar a procura por aqui: a declaração de bens de todos os canditados no tsé. Acredite, é, no mínimo, curioso. E muito melhor que votar nulo.


3 Comments:

  • Muito obrigado por levar o esclarecimento adiante...

    Acredito na importância da web e, principalmente da comunidade envolvida nela, na conscientização do voto.

    Muita gente é ludibriada por diversas campanhas desse tipo... começando por aquelas "envie 20545 mensagens e aperte f5 para ver o amor da sua vida na tela" até "vote nulo para salvar o Brasil"

    Nós blogueiros temos aí um papel fundamental de discutir esses assuntos publicamente e levar esclarecimentos através da web.

    e obrigado pelo comentário, fico feliz em ter ajudado de alguma forma

    []'s

    By Anonymous Douglas d'Aquino, at 1:08 AM  

  • Interessante...

    Mas tome muito cuidado com esse midiasemmascara. São da laia de Olavo de Carvalho, um homem que ao mesmo tempo em que diz que Newton estava errado e todo mundo de sua época era burro por não saber disso, afirma que o MST é uma agressão contra os grileiros, que há um complô de Cuba para invadir o mundo, defende um capitalismo mais ideal do que qualquer socialismo, e coisas do gênero (rsssss)

    By Anonymous catatau, at 1:20 AM  

  • Poizé, catatau... Eu fiquei meio com um pé atrás quando fucei a fonte do artigo. Mas o artigo apareceu em citação indireta do douglas (do 1º comentário) e respondeu melhor uma questão que eu estava tentando responder mas... só depois que havia escrito a postagem. E resovi citar a fonte original (influência acadêmica).

    Enfim, acho que essa parte se aproveita. O restante desse site é dispensável. Esquisito demais.

    By Blogger Leandro, at 11:59 AM  

Postar um comentário

<< Home