meandros

terça-feira, agosto 08, 2006

crossover



Sempre admirei pesquisas científicas bem delineadas e criativas. Principalmente quando elas dizem respeito diretamente às nossas vidas. E ao cotidiano de nossas vidas.

Quem já se deu ao trabalho de permanecer por mais de dez minutos ao lado de uma criança e esteve realmente presente com ela já percebeu o peso e dimensão da fantasia. Dependendo da idade não se sabe onde termina o faz de conta e começa a realidade, onde termina o "de verdade" e começa "de mentira", onde terminam os "do mal" e começam "do bem", onde termina a mentirinha e começa a mentira.

Um estudo com o título "O que o Batman pensa do Bob Esponja? A compreensão infantil da distinção fantasia/fantasia" aborda justamente isto.

A fantasia das crianças é muito mais complexa do que pensam aqueles que não estiveram realmente presentes com alguma delas por mais de 10 minutos. Ao realizarem perguntas como "O Batman acha que o Nemo existe de verdade?" e "O Batman acha que o Robin existe de verdade?", os pesquisadores Deena Sklnick e Yale Paul Bloom da Universidade Yale revelaram que as crianças entre 6 e 8 anos não só distinguiam bem realidade da fantasia como realizam uma distição hermética entre os vários universos de personagens.

É certo que a imaginação infantil vai longe (vide "O Fantástico Mundo de Bob"), mas tem seus limites. Talvez seja por isso que os crossovers dos quadrinhos nunca tenham dado muito certo. Essa história de Marvel X DC sempre fica muito estranha.

Esqueça Batman Calça-quadrada e o Garoto Patrick Prodígio. As crianças nunca foram bobas. Ou será que tem alguma coisa em comum com essas duplas dinâmicas?

1 Comments:

  • tem uma pesquisa do sapolski que mostra ateh que idade estamos sujeitos a novas tendencias, tipo musica e etc. li na ehpoca, mas não dizia nada de muito bom. queria ler a de verdade.

    By Anonymous irmão, at 2:14 PM  

Postar um comentário

<< Home