meandros

sábado, setembro 30, 2006

mama áfrica


Dizimação significa o assassinato de uma em cada dez pessoas de uma população. Na primavera e no verão de 1994, um programa de massacres dizimou a população da República de Ruanda. Embora os assassinos tenha sido executados com baixa tecnologia - geralmente com facão -, eles se consumaram com vertiginosa rapidez: de uma população original de cerca de 7,5 milhões, pelo menos 800 mil pessoas foram mortas em apenas cem dias. Os mortos de Ruanda se acumularam numa velocidade quase três vezes maior que a dos judeus mortos durante o Holocausto. Foi o mais eficiente assassinato em massa desde os bombardeios atômicos de Hiroshima e Nagasaki.


Assim inicia o livro "Gostaríamos de informá-lo de que amanhã seremos mortos com nossas famílias" de Philip Gourevitch. O livro é o (excelente!) relato do jornalista norte-americano da dizimação de Ruanda através dos massacres dos tutsis pelos hutus e está recém-lançado pela Companhia das Letras em edição de bolso (custa em torno de R$20, mais barato que uma pizza e uma coca grande).

Outra obra que apresenta o tema é o (também excelente!) filme Hotel Ruanda. Conta a história verídica de um sobrevivente do genocício na tentativa de poupar o maior número de ruandeses do assassinato no hotel onde trabalhava.

São duas obras impressionantes. Não impressionam tanto pela crueldade ou pela magnitude do massacre. Impressionam muito pela ignorância do resto do mundo. Pela indiferença da ONU, da Igreja, das nações "desenvolvidas".

Um continente inteiro (muitas vezes confundido com um país por muita gente) é excluído da economia mundial e, portanto, não existe. Com excessão da África do Sul (e seus diamantes) e do Egito (e suas pirâmides), os demais países africanos são desconhecidos pelo capitalismo, merecendo apenas de quando em quando uma ou outra campanha beneficitária.

Enquanto isso, 1 entre 4 habitantes de Zimbábue são portadores do HIV. Mas quem se importa com isto? Se alguém morre em silêncio, pelo menos não incomoda.

sexta-feira, setembro 29, 2006

ítica na polética ou ética na política?

Charge do Santiago

Caso você pretenda reeleger algum deputado e não quer se contentar com sua maquiagem, é obrigatória a passagem pelos sites que apresentam o passado destas figuras políticas.

Já ficou famoso o site Transparência Brasil, que apresenta índices muito interessantes como a comparação do patrimônio declarado e do gasto de campanha com outros candidatos do mesmo estado, entre outros dados importantes. Mas isto vale para os cargos de Deputados Federais.

E quanto os Deputados Estaduais? O blog Política e Políticos do Paraná é uma ótima iniciativa do Prof. Carlos Luiz Strapasson das Faculdades Curitiba para fazer o mesmo com a Assebléia Legislativa daqui. Além de um resumo de cada candidato, as principais leis de sua autoria e o envolvimento em escândalos, processos ou condenações judiciais, apresenta também o posicionamento perante a lei Antinepotismo. Visita obrigatória.


Temos a 3ª maior massa votante e pleito mais seguro rápido e organizado do mundo. Não disperdicemos nosso voto no domingo.

quinta-feira, setembro 28, 2006

poesia para poetas



Eu tenho uma teoria particular de que tem que existir tanta poesia no receptor quanto no emissor. Isto é, você precisa ser tão poeta para entender um poema quanto para fazê-lo. E que só poetas são capazes de entender poesia.
Paulo Leminski

Quando alguém pergunta a um autor o que este quis dizer, é porque um dos dois é burro.
Mário Quintana

quarta-feira, setembro 27, 2006

meandros


Algo se avecina y su espíritu luminoso me previene.
Primeiro rasgos informes, cubiertos de meandros
y después, más marcados, gestos y ojos indefinidos.
Cuando los colores hacen su aparción tengo las manos atadas, y sólo puedo mirar la mutación.
Como una mariposa extasiada, letra a letra, leo el poema que está terminándose.
No soy partícipe del hecho, pero mis manos, ya sueltas,
alcanzan a escribir la última palabra.

Hugo Diz

terça-feira, setembro 26, 2006

a filosofia do futebol

Charge do Tiago Rechia.

E se...

  • a filosofia fizesse parte do cotidiano das pessoas?
  • Sócrates não tivesse sido convocado para a Seleção de 82 e de 86?
  • os antropólogos realizassem mais estudos sobre o futebol brasileiro?
  • se a dicotomia corpo-alma platônica-cartesiana já estivesse superada completamente?
  • os melhores atletas fossem os que tivessem completado o doutorado?

Talvez aí estívessemos enfim preparados para assistir a melhor partida de futebol de todos os tempos: Grécia X Alemanha (by Monty Python).




segunda-feira, setembro 25, 2006

o gralha, o retorno

Desenho de Alan Bariani

Muita gente não sabe. Mas Curitiba (e Região Metropolitana) possui seu próprio super-herói. Que de tão clichê, chega a ser original.

O Gralha nasceu em 1997 de um grupo de desenhistas curitibanos e de lá para cá apareceu em várias HQ´s, dois curta-metragens (assista aqui e aqui) e uma peça de teatro. As HQ´s são de primeiro nível, os filmes engraçadíssimos (o segundo conta com a presença do Oil Man) e a peça foi inesquecível.

Em uma Curitiba futurística, o super-herói costuma combater vilões impagáveis como O Craniano, O Homem-Barreado, O Polaco Malaco e O Homem-Aranha-Marrom.

A partir de hoje o Gralha volta a sobrevoar a terra do pinhão com a HQ online "A ameaça gigante". Em estilo mangá, a história tem o roteiro de Tako X e o traço de sete desenhistas diferentes (um para cada dia da semana). A previsão é que dure 2 meses até sua conclusão.

Vale a pena dar uma conferida depois do seu leite quente.

domingo, setembro 24, 2006

culpa, confissão e confiança

Clique na imagem (duas vezes) para visualizá-la melhor.


sábado, setembro 23, 2006

cubo mágico


O Cubo de Rubik, também conhecido como Cubo Mágico, é considerado um ícone da infância oitentista de muita gente. Mas, mesmo que sua fama tenha sido maior na década de 80, o Cubo hoje é mais popular do que nunca, dado seu acesso. Em qualquer casa de R$ 1,99 é possível encontrá-lo por... R$ 1,99!

Foi desenvolvido na Hungria por Erno Rubik e exige um exímio raciocínio espacial. Para se chegar a todas as combinações possíveis (considerando uma combinação a cada segundo) serão necessário 1.4000 bilhões de anos! Acho que hoje ninguém mais tem esse tempo disponível. Portanto, esqueça a o método da tentativa-e-erro.

Confesso que nunca consegui concluir este problema. Meu Cubo ficou parado durante anos em uma configuração (a mim) impossível de resolver. Até que encontrei este programinha. Após informá-lo qual é a configuração de seu Cubo, ele indica todos os passos necessário para resolvê-lo.

64 movimentos depois eu eu já tinha meu Cubo de Rubik zerado novamente. É mágico ou não é?

sexta-feira, setembro 22, 2006

dia sem carro


Eu poderia ter postado um carro, mas postei uma bicicleta,
que é mais ecológica, saudável e bonita!

quinta-feira, setembro 21, 2006

psicologia geral em quadrinhos II

Clique na imagem (duas vezes) para ampliá-la.


Lembrando um post anterior, este é o tipo de desenho que para quem conhece o assunto não acrescenta nada. E para que desconhece não consegue ser suficientemente auto-explicativo.

Mas taí. Estou aprendendo....

Agora, se você quiser aprender mesmo sobre tipos de memória sugiro este artigo do Gilberto Xavier da USP.

quarta-feira, setembro 20, 2006

LOST e a caixa de Skinner [contém SPOILERS]

Foi divulgada promocionalmente uma cena que fará parte da 3ª temporada da série LOST, com início em 4 de outubro nos EUA. O curioso é que ela aprenta o Sawyer dentro de uma caixa de Skinner gigante! Veja por si só:



Não é a primeira vez que a série apresenta o Skinner. Em um dos vídeos de orientação era dito que uma das teorias em que os DeGroots se baseavam era exatamente as do "visionário" B. F. Skinner. Agora, se o que vai ser abordado são as velhas críticas (infundadas) ao behaviorismo ou uma posição mais coerente com suas obras não se sabe. Mas está parecendo que a é primeira alternativa.


O lado bom da história é que os comportamentalistas terão (mais uma vez) uma chance na grande mídia de se explicarem (como se tivessem feito alguma coisa errada!). Mas principalmente de expor a teoria de Skinner sem distorções.

Distorções que, aliás, já começaram. O excelente blog Lost in Lost apresenta um podcast comentando o vídeo e reunindo algumas das críticas do senso-comum ao behaviorismo, como a comparação com "Admirável Mundo Novo" e 1984. Aproveito a ocasição para rebatê-las:

1. Condicionamento operante não é (apenas) uma técnica experimental. Acontece o tempo todo, mesmo que não estejamos "sob controle" de algum experimentador. Assim toda vez que abrimos a torneira e econtramos água ou abrimos uma escotilha e encontramos mistérios, estamos exibindo um comportamento operante e sendo reforçados pelas conseqüências deste comportamento. A tendência é continuarmos a abrir a torneira e escotilhas.

2. A caixa de Skinner não é uma experiência. É um instrumento utilizado para vários experimentos. Sobre reforço, sobre punição, sobre extinção de comportamentos, etc. Repito que é uma maneira de produzir condicionamento em laboratório, mas nem todo condicionamento acontece lá dentro. Vários são naturais. Assim Skinner utilizou-se desta caixa para desenvolver várias de suas pesquisas, a caixa não é uma pesquisa em si.

3. Refoço negativo não é punição. No exemplo do "botão verde e botão vermelho" do podcast citado foi dito que quando pressionado o botão vermelho um choque é dado e isto seria um reforço negativo pois diminuiria a probabilidade da freqüência daquele comportamento. Na verdade isto seria uma punição, este é o termo correto. Reforço negativo é quando se retira algo "negativo" e isto aumenta a probabilidade do comportamento. Como tirar a pedra do sapato ou eliminar um "outro" com um cajado repleto de citações bíblicas.

4. O objetivo do Skinner não era a "padronização social". O "Admirável Mundo Novo" e 1984 apontam para isto, mas nunca foi o objetivo de Skinner. Ao contrário, Skinner queria uma sociedade melhor e para que isto possa acontecer é importante verificar a individualidade das pessoas e reforçá-las diferencialmente. Nada mais errôneo para Skinner do que tratar todo mundo da mesma forma, o importante é valorizar a individualidade de cada um. Conhecer o passado explica próprio de cada um mostra o comportamento próprio de cada e a maneira como este comportamento deverá ser trabalhado. É só lembrar dos flashbacks que esta noção fica clara.


Embora seja um erro comum e uma crítica infundada bastante disseminada, Skinner não queria uma sociedade totalitária ou controladora. Ele defendia que as pessoas fossem auto-governadas, ou seja, que tivessem autonomia para a melhoria de sua vida e da vida em sociedade.

Entretanto
, a série LOST parece estar fazendo estas velhas críticas ao comportamentalismo (ao que parece) sem, talvez, um embasamento adequado. Vamos esperar para ver.

Mais informações sobre Skinner e sua caixa:
http://www.ceticismoaberto.com/ciencia/dawkins_skinner.htm
http://www.ufrgs.br/faced/slomp/edu01135/skinner-sobre.htm


terça-feira, setembro 19, 2006

meandros


Em rio de piranha, jacaré nada de costas.


Já dizia o velho deitado.

segunda-feira, setembro 18, 2006

ítica na polética ou ética na política


Menos de duas semanas para as eleições. E as coisas nem esquentaram. E nem vão esquentar.


No Brasil tudo indica que vair dar Lula no primeiro turno. E no Paraná, Requião no primeiro turno também.

O que é ruim. Por mais que eu possa votar nestes canditados em um imaginável segundo turno, ganhar a corrida assim no começo (ou no meio) não é bom bom nem para o país e nem para o estado. Por duas razões.

A primeira é que gera menos discussão. E menos discusão significa projetos mais rasos. A segunda é que o vencedor se sente mais totalitário. Afinal, a maioria do povo está o apoiando. E isto é muito perigoso, principalmente para o Lula e para o Requião.

Votar em outros canditados neste primeiro turno parece mais sensato. Para presidente, a Heloísa Helena surge como opção para mandar um recado para o atual presidente sobre como era o PT "das antigas".

Mas o problema da Helô são suas companhias. E não é só pelo "diga-me com que andas...". É que os que estão no entorno costuma governar mais do que nome que ganhou. Se antigamente os vices é que acabavam governando no lugar (vide Sarney, vide Itamar), hoje são os companheiros das coligações que chamam a atenção (vide o papel do PL em todos os escândalos).

Além do PSOL, claro, formam a frente de esquerda o PCB e o PSTU. O partidão, coitado, é uma peça de museu que já teve importância. Hoje é um balaio de gato. O problema é o PSTU. São radicais de mais. De tanto serem críticos, tornam-se cricas. E sabem o que é melhor para o povo, melhor do que o próprio povo. São boa parte dos militantes do Movimento Estudantil que, de tão envolvidos, não estudam. E jubilam o curso universitário...

O meu medo é (agora estou parecendo a Regina Duarte na campanha de 2002) que a Heloísa Helena ganhe e o Ministério da Educação vá para alguém do PSTU! Já pensou? Pronto, aí mais ninguém estudará, pois estará ocupada frequentando assembléias de estudantes.

quinta-feira, setembro 14, 2006

criancice


Nesta vida, pode-se aprender três coisas de uma criança:
estar sempre alegre,
nunca ficar inativo
e chorar com força por tudo o que se quer.

Paulo Leminski,
na introdução do "Guerra dentro da gente"



Eu vos asseguro: se não vos converterdes e não vos tornardes como as crianças, não entrareis no reino de Deus.
Jesus Cristo,
segundo São Mateus (18,3)

quarta-feira, setembro 13, 2006

meandros ou borboletas?

É curioso perceber como as pessoas caem aqui neste blog. Boa parte chega por meio dos mecanismos de busca (o Google, basicamente). Vejamos quais foram as últimas 20 procuras por aqui:


13 Sep, Wed, 10:16:12 Google Images: PSICOPATA
13 Sep, Wed, 11:41:06 Google: imagens de cuia para tomar chimarrão
13 Sep, Wed, 11:44:23 Google Images: borboleta
13 Sep, Wed, 11:46:58 Google: versos gaudérios
13 Sep, Wed, 12:16:41 Google: bragolin
13 Sep, Wed, 12:22:46 Google Images: borboleta
13 Sep, Wed, 12:37:58 Google Images: borboleta
13 Sep, Wed, 13:03:05 Google Images: borboleta
13 Sep, Wed, 14:14:39 Google: meandros
13 Sep, Wed, 14:54:47 Google: meandros
13 Sep, Wed, 15:35:45 Google Images: borboleta
13 Sep, Wed, 15:46:39 Google: meandros
13 Sep, Wed, 17:22:07 Google: meandros
13 Sep, Wed, 17:45:10 Google: borboleta na biblia
13 Sep, Wed, 18:05:09 Google: meandros
13 Sep, Wed, 19:49:42 Google Images: borboleta
13 Sep, Wed, 20:24:17 Google: rio barigui
13 Sep, Wed, 21:07:41 Google: educação infantil
13 Sep, Wed, 21:21:24 Google Images: psicopata
13 Sep, Wed, 21:41:33 Google: "rio barigui"


Vejamos, as buscas mais comuns foram de 2 psicopatas, 5 meandros e... 7 borboletas! Sempre aparece muita gente caçando borboleta por aqui!

O melhor de tudo é que nem tenho fotos de borboletas no blog. Apenas duas postagens antigas com estampas de borboletas em capas de bíblias e bolsas. E a foto da bíblia já saiu do ar.

Estou pensando em mudar o nome do blog. De meandros para borboletas. Que tal?


Bom, e se você chegou aqui procurando borboletas agora não perdeu mais a viagem. Eis um belíssimo exemplar de uma Papilio ulysses ssp. joesa.


terça-feira, setembro 12, 2006

hai-cai e se levanta


Venerável
É quem não se ilumina
Ao ver o relâmpago!

Matsuo Bashô

segue o seco


Com o agravamento da seca e o racionamento do sul, estavam prometendo que a situação só se normalizaria em setembro, quando viessem as chuvas constantes. Veio um frio intenso, vieram algumas chuvas que amenizaram temporariamente a situação, mas nada da água prometida.


E o hoje um sol de amolecer a moleira do vivente.

Mas, para dar uma de Polyana, creio que um resultado positivo vai ficar para a posteridade. Assim como o racionamento de energia da época dos apagões diminiui o consumo desnecessário pós-crise, este racionamento está ensinando que, mesmo na abundância (e antes das guerra das águas) este recurso é mesmo limitado. Como nos ensinaram na escola.

segunda-feira, setembro 11, 2006

psicologia geral em quadrinhos

Clique na imagem (duas vezes) para ampliar.



sábado, setembro 09, 2006

o sorriso do monge


Qual não foi minha surpresa quando, ao adentrar nas galerias da exposição "Expedição Coração do Paraná" do Orlando Azevedo no Museu Oscar Niemayer, deparei-me com uma fotografia do Pe. Francisco.

Pe. Francisco é o monge que cuida da hospedaria do Mosteiro Trapista Nossa Senhora do Novo Mundo, que fica em Campo do Tenente, pertinho da cidade da Lapa.

O que me supreendeu foi que a fotografia, belíssima por sinal, mostra um monge sisudo, pensativo. No entanto, quem conhece este monge sabe que Pe. Franscisco é só sorrisos. Ele é um sorriso. Só a sua presença já é um senso de humor. Admirei-me com o fotógrafo conseguir registrar um momento tão sério do religioso.

Bom, ficam duas recomendações. A primeira é de visitar a exposição de fotografias do Orlando Azevedo, que consegue retratar o interior do Paraná de maneira visceral e íntima. A segunda é de visitar o Mosteiro Trapista.

Na primeira, você encontrará beleza na arte do fotógrafo. Na segunda, Deus no sorriso do monge.


sexta-feira, setembro 08, 2006

meandros


Não cruzarás o mesmo rio duas vezes, porque outras são as águas que correm nele.


Heráclito de Éfeso

quinta-feira, setembro 07, 2006

7 de setembo, desfile oficial


Com direito a dois caças, cujo barulho era capaz de fazer qualquer ex-combatente se esconder debaixo da mesa. Clique aqui.


7 de setembo, desfile paralelo


O Grito dos Excluídos. Clique aqui.


quarta-feira, setembro 06, 2006

dignidade, dentes e dinheiro

Santa Felicidade nunca esteve tão movimentada como nesta época do ano. Por que será?

Tira do Orlandeli


Como disse o José Wille outro dia na CBN, quem não tem dentes ganha dentadura. Quem tem, ganha jantares.

Não venda seu voto por um frango assado. Mesmo que esteja bem assado.

terça-feira, setembro 05, 2006

os 10 mandamentos do chimarrão

Este texto é antigo e batido. Mas é clássico. E os clássicos são eternos.


NÃO PEÇAS AÇÚCAR NO MATE

O gaúcho aprende desde piazito por que o chimarrão se chama também mate amargo ou, mais intimamente, amargo apenas. Mas, se tu és dos que vêm de outros pagos, mesmo sabendo poderás achar que é amargo demais e cometer o maior sacrilégio que alguém pode imaginar neste pedaço do Brasil: pedir açúcar. Pode-se pôr na água ervas exóticas, cana, frutas, cocaína, feldspato, dólar etc, mas jamais açúcar. O gaúcho pode ter todos os defeitos do mundo mas não merece ouvir um pedido desses. Portanto, tchê, se o chimarrão te parece amargo demais não hesites: pede uma Coca-Cola com canudinho. Tu vais te sentir bem melhor.

NÃO DIGAS QUE O CHIMARRÃO É ANTI-HIGIÊNICO

Tu podes achar que é anti-higiênico pôr a boca onde todo mundo põe. Claro que é. Só que tu não tens o direito de proferir tamanha blasfêmia em se tratando do chimarrão. Repito: pede uma Coca-Cola com canudinho. O canudo é puro como água de sanga (pode haver coliformes fecais e estafilococos dentro da garrafa, não no canudo).

NÃO DIGAS QUE O MATE ESTÁ QUENTE DEMAIS

Se todos estão chimarreando sem reclamar da temperatura da água, é porque ela é perfeitamente suportável por pessoas normais. Se tu não és uma pessoa normal, assume e não te fresqueies. Se, porém, te julgas perfeitamente igual às demais, faze o seguinte: vai para o Paraguai. Tu vais adorar o chimarrão de lá.

NÃO DEIXES UM MATE PELA METADE

Apesar da grande semelhança que existe entre o chimarrão e o cachimbo da paz, há diferenças fundamentais. Com o cachimbo da paz, cada um dá uma tragada e passa-o adiante. Já o chimarrão, não. Tu deves tomar toda a água servida, até ouvir o ronco de cuia vazia. A propósito, leia logo o mandamento seguinte.

NÃO TE ENVERGONHES DO "RONCO" NO FIM DO MATE

Se, ao acabar o mate, sem querer fizeres a bomba "roncar", não te envergonhes. Está tudo bem, ninguém vai te julgar mal-educado. Este negócio de chupar sem fazer barulho vale para Coca-Cola com canudinho, que tu podes até tomar com o dedinho levantado.

NÃO MEXAS NA BOMBA

A bomba do chimarrão pode muito bem entupir, seja por culpa dela mesma, da erva ou de quem preparou o mate. Se isso acontecer, tens todo o direito de reclamar. Mas, por favor, não mexas na bomba. Fale com quem lhe ofereceu o mate ou com quem lhe passou a cuia. Mas não mexas na bomba, não mexas na bomba e, sobretudo, não mexas na bomba.

NÃO ALTERES A ORDEM EM QUE O MATE É SERVIDO

Roda de chimarrão funciona como cavalo de leiteiro. A cuia passa de mão em mão, sempre na mesma ordem. Para entrar na roda, qualquer hora serve mas, depois de entrar, espera sempre tua vez e não queiras favorecer ninguém, mesmo que seja a mais prendada prenda do Estado.

NÃO "DURMAS" COM A CUIA NA MÃO
(ou "CUIA NÃO É MICROFONE")

Tomar mate solito é um excelente meio de meditar sobre as coisas da vida. Tu mateias sem pressa, matutando, recordando... E, às vezes, te surpreende até imaginando que a cuia não é cuia mas o quente seio moreno daquela chinoca faceira que apareceu no baile do Gaudêncio... Agora, tomar chimarrão numa roda é mui diferente. Aí o fundamental não é meditar e sim integrar-se à roda. Numa roda de chimarrão, tu falas, discutes, ri, xingas, enfim, tu participas de uma comunidade em confraternização. Só que esta tua participaçâo não pode ser levada ao extremo de te fazer esquecer da cuia que está em tua mão. Fala quanto quiseres mas não esqueças de tomar teu mate, que a moçada tá esperando.

NÃO CONDENES O DONO DA CASA POR TOMAR O 1º MATE

Se tu julgas o dono da casa um grosso por preparar o chimarrão e tomar ele próprio o primeiro, saibas que grosso é tu. O pior mate é o primeiro e quem o toma está te prestando um favor.

NÃO DIGAS QUE CHIMARRÃO DÁ CÂNCER NA GARGANTA

Pode até dar. Mas não vai ser tu, que pela primeira vez pegas na cuia, que irás dizer, com ar de entendido, que chimarrão é cancerígeno. Se aceitaste o mate que te ofereceram, toma e esquece o câncer. Se não der para esquecer, faze o seguinte: pede uma Coca-Cola com canudinho, que ela... etc, etc.

domingo, setembro 03, 2006

leminski obrigatório


esta vida é uma viagem
pena eu estar
só de passagem

Paulo Leminski

sexta-feira, setembro 01, 2006

amigo da onça


Uma ilustração que fiz para ilustrar um livro ilustrado a pedido da Adriana, que iria contar para a Educação Infantil a história da onça que perdeu as pintas. A história, parece, foi bastante ilustrativa.


3N1GM4

Uma dessas bobagens que costumamos receber pelo e-mail. Mas uma bobabem muito interessante.

Esforce-se na leitura das primeiras palavras que as demais serão automáticas. Um típico exemplo de processamento top-down.


3M D14 D3 V3R40, 3574V4 N4 PR414, 0853RV4ND0 DU45
CR14NC45 8R1NC4ND0 N4 4R314. 3L45 7R484LH4V4M MU170
C0N57RU1ND0 UM C4573L0 D3 4R314, C0M 70RR35,
P4554R3L45 3 P4554G3NS 1N73RN45. QU4ND0 3575V4M QU453
4C484ND0, V310 UM4 0ND4 3 D357RU1U 7UD0, R3DU21ND0 0
C4573L0 4 UM M0N73 D3 4R314 3 35PUM4.
4CH31 QU3, D3P015 D3 74N70 35F0RC0 3 CU1D4D0, 45
CR14NC45 C41R14M N0 CH0R0, C0RR3R4M P3L4 PR414,
FUG1ND0 D4 4GU4, R1ND0 D3 M405 D4D45 3 C0M3C4R4M 4
C0N57RU1R 0U7R0 C4573L0. C0MPR33ND1 QU3 H4V14
4PR3ND1D0 UM4 GR4ND3 L1C40; G4574M05 MU170 73MP0 D4
N0554 V1D4 C0N57RU1ND0 4LGUM4 C0154 3 M415 C3D0 0U
M415 74RD3, UM4 0ND4 P0D3R4 V1R 3 D357RU1R 7UD0 0 QU3
L3V4M05 74N70 73MP0 P4R4 C0N57RU1R. M45 QU4ND0 1550
4C0N73C3R 50M3N73 4QU3L3 QU3 73M 45 M405 D3 4LGU3M
P4R4 53GUR4R, 53R4 C4P42 D3 50RR1R! S0 0 QU3 P3RM4N3C3
3 4 4M124D3, 0 4M0R 3 C4R1NH0.

0 R3570 3 F3170 D3 4R314